13 de fevereiro de 2011

SALADA DE CHOCOLATE


Cansei. Estou indignada. Não quero mais ouvir falar de grandes descobertas científicas até o final da minha dieta.

Preciso perder quatro quilos que insistem em me acompanhar nos últimos anos. Se quem estiver lendo for homem vai achar bobagem, mas se for do sexo feminino vai entender muito bem o que são quatro quilos a mais. Afinal de contas, os homens são beneficiados pela "visão anti-democrática social". Uma barriguinha a mais no homem é charme. Na mulher é displicência. Cabelos grisalhos no homem é charme. Na mulher é descuido. Fazer as unhas é desnecessário para os homens... já para as mulheres é muito importante. E por aí vai. Como sou pertencente a esta sociedade, é natural que também compartilhe desta visão. Assim, preciso eliminar quatro quilos e ponto.


Mas o que minha dieta tem a ver com as inovações da ciência?


A revista Science elegeu recentemente as dez maiores descobertas científicas do ano passado. Dentre elas, a criação de uma máquina que se mexe com base nas leis da mecânica quântica, o desenvolvimento do genoma sintético da bactéria, o seqüenciamento do genoma do homem de Neandertal, a descoberta de ratos mais propícios à pesquisa, e outras. Mas a descoberta que eu gostaria de desfrutar de forma imediata ainda não foi realizada.


Quero que inventem verduras com gosto de comida calórica. Salvo algumas exceções, parece que a "caloria" e o "sabor agradável" se casaram, vivendo felizes para sempre... com seus filhos chamados "quilos a mais". Como são muitos, vão sendo distribuídos para que a população mundial os crie. Tenho cuidado de quatro deles que, inclusive, se apegaram muito a mim. Nem os quilômetros que corro regularmente conseguem afastá-los.


A indústria alimentícia tem se esforçado para disponibilizar alimentos industrializados mais saborosos... mas não consegue fazer milagres com o número de calorias. Já existe biscoito com sabor de presunto, peito de peru e até picanha... todos calóricos demais. Já existe chocolate diet, sorvete diet, queijo light, pipoca light, doce de leite diet... mas veja no rótulo o número de calorias. Todos ainda muito calóricos e nada saudáveis. Lançaram nos últimos anos até água com sabor de tudo quanto é jeito... tangerina, laranja, uva, abacaxi com hortelã... e embora não tenham calorias, não matam a fome.


Assim, nos resta contar com a ciência. Já não existem produtos transgênicos? Já não existem produtos cosméticos produzidos com base na nanotecnologia? Já não existem bermudas com tecido produzido para combater celulite? Então... o que está faltando para termos alface com gosto de chocolate? Pepino com gosto de alcatra? Chicória com gosto de batata frita? Repolho com gosto de pão de queijo? Imagine só, termos o gosto sem as calorias? Talvez a única prejudicada seria a indústria farmacêutica por deixar de produzir medicamentos para o controle do peso.


Este discurso de não podermos modificar o que é natural já não tem mais lugar neste atual contexto social. Tudo já tem caminhado - naturalmente - para o artificial. Alimentos, estética pessoal, e até relações sociais. Então um pepino achocolatado a mais ou uma picanha gordurosa natural a menos não farão diferença neste mundo de costumes artificiais.


Há vários anos, durante o internato de psiquiatria na faculdade, vi o caso de um paciente portador de esquizofrenia. Ele acreditava que o "Todo Poderoso do Mal" implantava chips em todos os pães produzidos no mundo inteiro. Estes chips, ao serem ingeridos, iam direto para o cérebro onde possibilitava que este "Todo Poderoso do Mal" manipulasse a mente dos homens, para provocar os males sociais. Por que teria escolhido o pão? Porque é um dos alimentos mais difundidos em todas as classes sociais, e presente em diversas culturas. Por conta disto, este paciente estava detido no Manicômio Judiciário, já que destruía todas as padarias de Niterói. Os padeiros já o conheciam quando solto por bom comportamento (não há padaria no manicômio) ... e fechavam as portas ao se aproximar.


Estou começando a achar que os cientistas - classe da qual pretendo fazer parte - estão comendo muitos pães. Acho que o Todo Poderoso do Mal, definitivamente, não quer ver as pessoas magras e saudáveis... ou então é um grande acionista da indústria de medicamentos para emagrecer. Enquanto os cientistas não atentam para esta questão... vou tentar fazer as pazes com os alimentos verdes. E antes que me julgue uma pessoa egoísta por não valorizar os importantíssimos avanços da ciência... não se engane. É puro mal humor transitório. Ou você acha que nós mulheres ficamos de bom humor tendo que abrir mão do chocolate?
.
.
Andrea Pio

15 comentários:

LauraCavalcanti disse...

Adorei, Andrea. A Ciência nos deve isso. Vou me juntar a você na torcida desse avanço alimentício. Hum... já pensou uma salada de chocolate como entrada de todas as refeições. Acho que iria comer salada na entrada e na saída.
Beijos

Andrea Pio disse...

Eu também Laura! Certamente a salada seria até transformada em sobremesa!
Vamos continuar torcendo então.

Obrigada pelo comentário!

Mariza disse...

Oi colega!

Também sou uma médica que gosta de escrever. Tenho 2 blogs (um de variedades e outro de finanças). Sabe, gosto de usar os blogs como forma de terapia para quebrar os estresse do dia a dia.

Parabéns pelo seu blog

Mariza (médica de Uberlândia MG).

Andrea Pio disse...

Mariza,
Fico tão satisfeita quando encontro outros médicos ou profissionais da área da saúde que também gostam de qualquer forma de arte... Nossa profissão tende a nos tornar objetivos demais. E julgo ser possível sermos objetivos na prática médica, mas com um olhar mais profundo sobre as pessoas e sobre a própria vida. Isto não nos faz perder o foco. E o nosso foco sempre tem que ser do tamanho das pessoas que estão em nossa frente.
É a velha frase: "O médico que só sabe de Medicina, nem de Medicina sabe." (A.Salazar).

Como psiquiatra você certamente deve compartilhar desta idéia, por justamente ser a especialidade que mais exige este "algo a mais" que os livros não podem fornecer.

Bom, vou lá correndo agora ver seus blogs também, principalmente o de finanças pois estou precisando... rs.

Abço e obrigada pela presença aqui!

Mariza disse...

Olá!
Vim agradecer sua visita. Sim, passa lá np de finanças e se puder, deixo um convite para vc tb:

http://clubedosmedicos.ning.com/

Assim, quem sabe, podemos trocar 'figurinhas' online hehehehe

Abraço

Mariza

Mariza disse...

Olá!!!

Fiquei muito feliz que vc entrou no Clube dos Médicos.
Espero que vc aproveite o espaço. Coloquei um evento lá da sua área (fique à contade em fazer qq tipo de modificação).

Forte abraço

Mariza :-)

José disse...

Meu maior desejo neste assunto seria a água com gosto de cerveja. Seria uma revolução nos bares, e ótimo para quem precisa dirigir depois. Aquela cerveja sem alcool que inventaram é péssima!
Ótimo texto (para variar um pouco).
JC

Andrea Pio disse...

Obrigada José! E viva a cerveja!
Andrea

Magali Polida de Lascada Silva disse...

amei.

Pedro Lanúcio disse...

Andrea, como sempre seus textos são muito inteligentes e criativos. Como todos os comentários feitos esse assunto faz a imaginação voar. A água do José poderia ter gosto de um bom vinho por exemplo ou salada de entrada da Laura já poderia ter o sabor do delicioso filét a parmegiana do Lellis...A imaginação não teria limites...Acho que todo mundo já deve ter pensado nisso, mas poucos devem ter escrito e tão legal como você. Parabéns! Muito bom!

Andrea Pio disse...

Magali, obrigada pela visita. Ví pelo seu perfil que possui alguns blogs também. Vou lá dar uma conferida!

Pedro, que surpresa vc por aqui! Que bom que gostou. Vou procurar experimentar este filét a parmegiana do Lellis que vc falou. Deve ser bom mesmo. Obrigada e espero que esteja feliz por aí!

Abraços!

Nicole Rodrigues disse...

Eu já estava me desesperando!!! Ainda bem que vc terminou o texto dizendo que resolveu fazer as pazes com os alimentos verdes. Caso contrário eu iria fazer um dossiê de receitas com verduras e frutas que são uma delícia e mandar entregar na sua casa! rsrss

Eu sinceramente acho que é um caminho bem mais rápido, inteligente e imediato do que esperar pela chicória com gosto de batata frita que pode até matar a fome, mas vai causar outros mals, pq nao tem como ela não ser 100% superficial.

Vamos lá Dr. Andrea, disciplina! Um pepino aqui, uma cenoura ali, uma porção de arroz com bom sendo lá... não precisa morrer de fome! rs

Andrea Pio disse...

Oi Nicole,
Eu sei! Mas você sabe... tenho que exagerar um pouquinho para fazer juz aos dias em que só queremos comer besteiras. Faz parte... e é humano!
Abração e obrigada pelo comentário!

accustandard disse...

Muito divertida a sua forma de eescrever e colocar as questões... gostei muito do texto

Andrea Pio disse...

Muito obrigada. Bom ter gostado.